Um dia pelo centro de São Paulo by Vivian Carvalho

Copan visto do alto do Edifício Itália
Esse post é válido tanto para pessoas que estão visitando São Paulo como para quem mora aqui. Afinal, sei que existem muitos paulistanos que não conhecem o centro da cidade. É compreensível, porque a imagem que se tem de lá não é das melhores: muita gente, perigo de assalto, sujeira, mendigos. E aí eu te digo “Calma, não é bem assim!”.

Apesar do enorme movimento de pessoas, o centro de São Paulo melhorou muito. Já não é mais tão sujo como era há uns anos atrás, e o risco de assaltos e roubos diminuiu consideravelmente, pois há mais policiais nas ruas (claro que aqui entra também o bom senso de quem estiver caminhando por lá de não dar bobeira e estar sempre atento). E tem muita coisa bacana pra ver a fazer por ali. 
Vamos começar nosso passeio pelo Mercado Municipal. Além de saborear o sanduíche de mortadela do Bar do Mané, o pastel de bacalhau do Hocca Bar ou uma esfiha do Rafful, dê uma volta pelas barracas, admire as cores e os cheiros do lugar. Pra quem gosta de cozinhar, é um prato cheio. Pra quem não gosta também, porque o lugar é lindo. No mezanino, aproveite pra curtir a visão privilegiada dos lindos vitrais do mercadão. 

Mercado Municipal

Saindo do Mercado Municipal, siga a pé até a Ladeira Porto Geral. Resista bravamente à tentação das compras na região de 25 de Março (deixe pra outro dia, já que é um lugar que merece ser explorado com muita calma e paciência) e suba a ladeira. Você vai chegar ao Largo São Bento.

É ali que está o Mosteiro de São Bento e a Igreja de Nossa Senhora da Assunção (mais conhecida como Igreja de são Bento). Às vezes a igreja está fechada, mas se você der a sorte de pegá-la aberta, não pense duas vezes antes de entrar. É uma das igrejas mais lindas que eu já vi. 
Rua São Bento
Saindo do Largo São Bento, siga pelo Viaduto Santa Ifigênia. Dê uma paradinha para ver o Vale do Anhangabaú e continue seguindo pela Rua Santa Ifigênia (mais uma vez resista ao impulso consumista) até chegar à Avenida Ipiranga, onde você deve entrar à esquerda.
Não sei se alguma coisa vai acontecer no seu coração quando você cruzar a Ipiranga com a Avenida São João, mas vale passar pela esquina imortalizada na música de Caetano Veloso, até porque é ali que fica o Bar Brahma, um dos mais tradicionais da cidade. Continue seguindo até chegar à Praça da República. Nos finais de semana, acontece uma feira de artesanato, mas durante a semana não vale tanto a pena se estender por ali.
Passando a Praça da República, ainda na Avenida Ipiranga, você chega ao Edifício Itália. Já tive a oportunidade de subir no último andar para admirar a vista da cidade e posso dizer que é incrível! A visita ao mirante do Terraço Itália é paga caso você não vá fazer uma refeição ali.

Catedral da Sé

Ainda na Avenida Ipiranga está o Edifício Copan, uma das obras mais famosas do arquiteto Oscar Niemeyer. Continue seguindo em frente e entre na Rua da Consolação à esquerda. Você passará pela Biblioteca Municipal Mario de Andrade, até chegar à Praça Ramos. É ali que está o Theatro Municipal. Caso você não consiga entrar, pois as visitas devem ser agendadas com antecedência, você pode visitar o restaurante do teatro.

Siga à direita no Viaduto do Chá, onde você verá novamente o Vale do Anhangabaú. Você passará pela Prefeitura de são Paulo (também conhecida como Banespinha), até chegar à Praça do Patriarca. Ali, entre à esquerda na Rua São Bento. Chegando ao Largo do Café, entre na Rua Álvares Penteado e siga alguns metros até o Centro Cultural Banco do Brasil. Além da arquitetura belíssima e de sempre receber ótimas mostras e exposições, é o melhor lugar pra fazer aquela pausa pra ir ao banheiro (sempre muito limpo!) e tomar uma água ou um café.

Volte para a Rua São Bento e continue seguindo em frente em direção à Avenida São João. Você passará pelo Edifício Martinelli, um dos primeiros arranha-céus da cidade. Sei que é possível visitar o terraço, mas nunca fui. Na esquina da São João com a Rua Quinze de Novembro está o Edifício Altino Arantes, mais conhecido como Prédio do Banespa. Se você não gostou muito da ideia de ter que pagar para subir ao Terraço Itália, aproveite pra subir até o mirante do Banespa, onde a vista da cidade também é bem legal e, o melhor, é de graça! 

Banespa
Saindo do Banespa, entre à esquerda na Rua Boa Vista e siga até o Pateo do Collegio. Foi ali que a cidade de São Paulo começou, no tempo dos jesuítas. Vale visitar a Igreja onde foi celebrada a primeira missa da cidade, o museu e a cripta. Aproveite pra descansar um pouquinho no jardim, ou fazer uma refeição no restaurante simpático que fica lá dentro.
Continue seguindo pela Rua Boa Vista até chegar à Praça da Sé. É ali que está a Catedral Metropolitana, a principal igreja da cidade e um dos cinco maiores templos neogóticos do mundo. A catedral passou por obras de restauro recentemente. Caminhe pela imensa nave, e, se puder, aproveite também para conhecer a cripta, onde estão sepultados bispos, arcebispos e personagens importantes da história do Brasil, como o índio Tibiriçá.
Assim termina o passeio pelo centro de São Paulo. Dá pra fazer todo este percurso em uma manhã ou uma tarde, se você for num ritmo puxado, mas eu recomendo fazê-lo em um dia inteiro, pra poder curtir com calma cada um dos lugares. Já fiz este tour muitas vezes, e sei que, como uma grande apaixonada pela minha cidade, farei muitas mais. Se você não é paulistano, é uma boa oportunidade de conhecer alguns dos principais pontos turísticos de São Paulo. Se você é paulistano, vale a pena para conhecer um pouco mais da nossa cidade e da história dela. 

Texto escrito por Vivian Carvalho do Mil e Um.

Quer dicas de Orlando? Acesse: www.izaemorlando.com.br

Eu posso te ajudar a planejar sua viagem. Saiba mais…
IzaPeloMundo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.